Tudo o que não disse à Vida Macro

13-08-2019

Há cerca de um mês tive a honra de filmar um vídeo para a Vida Macro, com o inspirador António Barbot! O Jardim Botânico de Coimbra foi escolhido como "palco". Aqueles momentos não poderiam ter sido mais divertidos, naturais e interessantes! 

Para quem já viu o vídeo (e aguentou o primeiro minuto...) certamente percebeu que teve um início algo caricato, culminando com aquele belo momento "ai isso já está a filmar? Ok ..."! Se ainda não viste, podes encontrá-lo aqui!

Senti que ficaram várias coisas por dizer e por isso decidi escrever este artigo!  

Este blog nasceu com a minha vontade de partilhar várias dimensões da minha (interminável) caminhada para uma vida mais sustentável e harmoniosa! E dessa forma inspirar pessoas que queiram começar ou continuar a melhorar a forma como vivem o seu dia-a-dia! 

Tal como disse no início do vídeo, a consciência ambiental é uma constante na minha vida. Desde criança que naturalmente me preocupo em fazer o melhor que sei para causar o mínimo dano à Natureza! E, naturalmente, ao longo dos anos os meus hábitos têm melhorado à medida que absorvo mais conhecimentos nesta área. 

Por várias vezes já fiz questão de afirmar que não consigo fazer tudo de forma perfeita ou como deveria ser! Quero mesmo assumir plenamente todas as minhas dificuldades e limitações como o fiz, por exemplo, neste artigo.

Sou uma defensora da sustentabilidade mas estou muito longe de ser zero waste! Mas sem qualquer tipo de dúvida hoje faço as coisas de forma bem diferente do que fazia há uns meses, há 1 ano, há 10 anos! 

Como faço uma procura dinâmica e ativa, estarei sempre num processo de aprendizagem e melhoria contínua. Independentemente dos condicionalismos de cada um, quero que as pessoas percebam que:

  • pequenas mudanças fazem toda a diferença!
  • não precisamos de ser perfeitos para ter uma vida mais sustentável! 
  • todos podemos fazer o nosso papel e entreajudar-nos a construir um futuro melhor! 

Quero apenas partilhar o quão simples é minimizar o nosso impacto.

Após um período de introspeção, criei 3 listas sobre o meu processo ecológico! Atenção, os tópicos estão certamente incompletos e desordenados! Aqui vai:

1. O que sempre fiz:

  • Reciclagem; 
  • Confirmar a origem dos produtos;
  • Reutilizar sacos de plásticos, tecido ou cartão; 
  • Apanhar lixo na natureza (praia, floresta,rua...);
  • Prolongar o tempo de utilização dos objetos/materiais, ao máximo;
  • Não atirar qualquer tipo de lixo ao chão (parece óbvio, mas não é para muitos);
  • Ler os rótulos para me informar sobre o tipo de ingredientes utilizados, e decidir o que compro ou não (torna as compras mais demoradas mas mais conscientes);
  • Utilizar o carro somente quando é estritamente necessário;

2. O que passei a fazer: 

  • Melhorar ainda mais o meu estilo de alimentação, através da macrobiótica;
  • Frequentar workshops e cursos ligados à ecologia, saúde e bem-estar;
  • Criar um blog, partilhar as minhas experiências e divulgar outros projetos;
  • Conectar-me com pessoas que partilham dos mesmos interesses e valores;
  • Doar, trocar, emprestar/pedir emprestado, reutilizar ainda mais vezes;
  • Parar de comprar roupa sem que tenha uma necessidade real. Sempre que possível, comprar artigos provenientes de comércio justo e com práticas ambientais bem definidas. Algumas grandes marcas ficaram riscadas da lista.
  • Substituir escovas de dentes e outros utensílios de limpeza feitos de plástico (exemplo: cotonetes), por alternativas ecológicas/reutilizáveis/biodegradáveis;
  • Substituir guardanapos de papel por guardanapos de pano; 
  • Utilizar desodorizantes e pastas de dentes ecológicas;
  • Utilizar preferencialmente sabão (feito à base de ingredientes naturais e biológicos) em vez de produtos de limpeza líquidos (feitos à base de petrolatos e embrulhados em plástico);
  • Comprar o máximo possível a granel, inclusivamente produtos de limpeza;
  • Reutilizar, cada vez mais, todo o tipo de embalagens (mesmo que pareçam descartáveis, na maioria têm algum tipo de utilidade);
  • Evitar ao máximo os descartáveis;
  • Quando ofereço algo a alguém, fazer embrulhos ecológicos (ou o ideal é não haver embrulho); 
  • Deixar de consumir chá em saquetas;
  • Utilizar cosméticos naturais (óleo de côco e outros óleos vegetais);
  • Reduzir ao máximo a compra de água engarrafada. Tenho sempre comigo uma garrafa de vidro ou inox reutilizável;
  • Utilizar pensos higiénicos de pano (processo gradual);
  • Utilizar ingredientes naturais como produtos de limpeza (vinagre, limão, bicarbonato, etc.)
  • Lavar a roupa com nozes da saponária ou com detergente ecológico comprado a granel;
  • Poupar ainda mais água (embora nunca o faça de forma suficiente);
  • Deixar de comprar café de cápsulas;
  • Deixar de comprar canetas (gastar todas que tenho e utilizar recargas);
  • Utilizar cada vez menos sacos do lixo de plástico;
  • Reduzir ao máximo a compra frutas e legumes que não sejam produzidos em Portugal;
  • Recusar a compra ou utilização de descartáveis totalmente desnecessários (balões, palhinhas, talheres descartáveis, etc.);
  • Deixar de comprar atum enlatado - a pesca tem um efeito devastador nos ecossistemas e o atum enlatado é um dos produtos que mais é consumido e que mais questões levanta;

3. O que ainda não consigo fazer (ou preciso de melhorar)

  • Fazer compostagem;
  • Produzir os meus próprios legumes;
  • Utilizar lenços de pano para assoar o nariz; 
  • Reduzir ainda mais a compra de produtos que vêm embrulhados em plástico (como por exemplo, alimentos congelados); 
  • Reduzir ainda mais a utilização de papel (impressão, livros, blocos de notas);
  • Cuidar dos animais de estimação de uma forma ainda mais ecológica;
  • Encontrar alternativas para reduzir a utilização de papel higiénico; 
  • Ser proativa e enviar emails/cartas a assumir o meu descontentamento perante práticas de algumas marcas (no caso de sobre-embalamento, por exemplo);
  • Tornar o meu café da manhã ainda mais ecológico; 
  • Utilizar cada vez menos produtos de maquilhagem, perfumes e vernizes (levantam imensas questões de saúde e ambientais ... mesmo que sejam vegan, à base de ingredientes e materiais mais ecológicos);
  • Dedicar-me mais à cozinha (para fazer as bebidas vegetais, snacks,etc.);
  • Tornar as minhas viagens ainda mais ecológicas;

Nota: dado que estou em constante transformação, é provável que esta lista já não esteja atualizada daqui a umas semanas! :-) 

Muitas coisas ficarão por dizer! Mas o essencial tem sido feito e dito! Já segues as minhas redes sociais? Facebook, Instagram e Pinterest

  • Já conheces os sunday eco talks? Todos os domingos faço diretos no Instagram ás 21h, onde tenho convidados de várias áreas ligadas ao bem estar, saúde e ecologia! 
  • Também dentro deste conceito têm decorrido giveaways - de modo a que todas as pessoas tenham a oportunidade de conhecer (e se tiverem sorte, experimentar) novos produtos. 
  • Nas redes sociais, divulgo regularmente os meus artigos sobre novas marcas e projetos ECOnscientes!

E muito mais está para vir. Fica atento(a)! 

Por uma Vida ECOnsciente,
Filipa Gouveia