Reduzir o lixo doméstico

23-09-2019

Quando falamos em sustentabilidade, utilizamos frequentemente uma palavra: reduzir! Mas afinal, na prática, o que é que podemos fazer? Neste artigo vou explorar algumas das soluções! Todas elas têm 3 pressupostos: são simples; estão ao alcance de todos; são económicas.

Vamos então perceber o que todos podemos fazer? 

Contextualização 

O lixo faz parte das nossas vidas e, à partida, todos sabemos o que é. Mas para garantir que todos compreendemos o significado, vamos confirmar a sua definição: 

li.xoˈliʃu nome masculino

1.aquilo que se deita fora por não ter utilidade ou por ser velho

2.restos de cozinha e toda a espécie de resíduos desnecessários que resultam da atividade de uma casa

3.pó e sujidade acumulados

4.lixeira

5.imundície; sujidade

6.local onde se reúne tudo aquilo que é para deitar fora

7.figurado coisas inúteis

8.pejorativo ralé 

Fonte: Infopédia

Há várias formas de categorizar o lixo que o ser humano produz. Eu vou dividir em dois tipos de resíduos: orgânicos (restos de comida, madeira, dejetos) e não orgânicos (papel, plástico, vidro e outro tipo de materiais).

E o que podemos fazer relativamente ao lixo? Durante muitos anos adotou-se o slogan dos 3 R's (Reduzir, Reutilizar, Reciclar). Depois surgiram os 5 R's. Atualmente já se fala em 7 R's. Existem várias versões e esta é a que eu utilizo: 

  1. Repensar
  2. Recusar
  3. Reduzir
  4. Reutilizar
  5. Reparar/renovar/reinventar (Repurpose)
  6. Reciclar 
  7. Re-integrar (Rot)

Normalmente estes "R" apresentam-se ordenados/em ciclo. Mas raramente isto irá acontecer desta forma. A nossa vida por vezes é o verdadeiro caos, não é verdade? Por vezes conseguimos fazer tudo em simultâneo, outras vezes apenas uma parte. 

Durante muitos anos acreditei profundamente que estava a fazer o suficiente só pelo facto de reciclar quase todo o meu lixo. Quando me apercebi que era possível reduzir dramaticamente a quantidade de lixo que eu gerava, a minha perspetiva mudou. 

Vou então responder à questão: como reduzir o lixo doméstico?

1. Reaproveitar 

Se pensarmos nos hábitos das nossas avós vamos compreender o significado desta palavra. Se refletirmos bem, quase tudo pode ser reaproveitado! Seguem alguns exemplos: 

  • Cascas de fruta: sabes que podes utilizar cascas de laranja para aromatizar o teu amaciador natural da roupa? e que podes utilizar as cascas de banana nos cuidados da pele ou até para cozinhar? 
  • Vamos tornar os descartáveis, reutilizáveis? No caso das embalagens - o cartão das embalagens pode ser transformado em bloco de notas! Os frascos de vidro podem ser transformados em tupperware! Os sacos de plástico que embalam os nossos alimentos muitas vezes podem ser reaproveitados para embrulhar ou transportar outras coisas!
  • Tecidos: as roupas velhas podem servir para limpar a casa! os lençóis velhos podem servir para fazer panos de cozinha, lenços de pano, bee wrap's.

2. Evitar a compra de descartáveis

Eu sei. Praticamente tudo está embalado. Eu também compro produtos que vêm embalados, por vezes não restam alternativas. Mas existem algumas hipóteses:

  • Comprar a granel: leva os teus sacos/frascos e compra as tuas frutas e legumes sem utilizar os sacos de plástico! 
  • Evita a compra de água engarrafada: a água da torneira, na maior parte dos casos, é ótima! Reutiliza garrafas, frascos, canecas! 
  • E os produtos de higiene pessoal? Tudo vem em plástico, certo? Mas podemos substituir gradualmente por produtos mais ecológicos. Para o gel das mãos, gel do corpo e shampô há muitas alternativas no mercado - sabão sólido! Para a pasta dos dentes, há soluções de pastas sólidas, pastas em pó, pastas embaladas em vidro! Há sempre um processo de habituação, mas compensa. 

3. Utilizar tudo o que já temos

Quantas sobras de pacotes de arroz temos? Precisamos mesmo de comprar mais uma caneta ou um caderno? Quantos cremes e perfumes temos? Um exercício engraçado é experimentarmos não comprar, por muito apelativa que seja a ideia! 

Quanto menos comprares, menos lixo vais gerar. E mais dinheiro vais poupar! Acredita, em casa acumulamos mesmo muita coisa! E de certeza que nos teus armários da cozinha, da casa de banho, do quarto e do escritório tens muitas coisas escondidas à espera de serem utilizadas

4. Reduzir o consumo 

Ora bem, aqui vem um ponto que é mais difícil. Mudar alguns hábitos! Quantos iogurtes consomes por semana? E pacotes de leite? E sumos? E pacotes de bolachas? Quando se faz as contas, é assustador! Em primeiro lugar, devemos pensar - preciso mesmo de consumir tanto? Qual é o impacto ambiental que tem cada um dos produtos que eu estou a consumir? E fazem-me assim tão bem? 

No meu caso pessoal desde que conheci a Alimentação Macrobiótica, tornou-se muito simples reduzir o consumo dos produtos que dei como exemplo. E, consequentemente, ajudou-me a reduzir a minha pegada ambiental. Os alimentos que melhor nos nutrem (locais e sazonais) vêm diretamente da Natureza e são, por isso, bem mais eco-friendly!

5- Encontrar alternativas para o lixo orgânico

Em primeiro lugar, vou já admitir que não faço compostagem nem vermicompostagem. Para mim, é o meu calcanhar de aquiles. Moro num apartamento onde é difícil produzir os meus vegetais (tem muita pouca luz), portanto não tenho onde aplicar o composto! Muito do lixo que produzo atualmente é lixo orgânico, o que se torna um grande desperdício. Além disso, faz com que tenhamos que utilizar mais sacos de lixo (num próximo artigo vou escrever sobre a minha experiência de reduzir a utilização de sacos de lixo de plástico e as suas alternativas).

Quais são as alternativas quando não fazemos compostagem/vermicompostagem? Doar os nossos resíduos orgânicos! Conheces alguém que tem terrenos e que os possa utilizar? Hortas urbanas que aceitem resíduos orgânicos? Os mini-mercados onde fazes compras? Podes também utilizar a Wasteapp para procurares pessoas interessadas na tua área de residência.


Neste artigo falei de 5 dicas para reduzir o nosso lixo doméstico! Este acaba por ser um exercício diário ... nas nossas casas, quando vamos fazer compras, quando vamos de férias! 

O objetivo não é "stressar"! Se hoje não compraste um produto sobre-embalado em materiais descartáveis, fizeste a diferença! Certamente, amanhã vais experimentar fazer algo de forma diferente! Passo a passo, lembra-te que cada um está no seu processo! 

Muito em breve vão surgir novidades! Gostarias de saber como fazer um amaciador natural para a roupa? Ou reaproveitar as cascas das bananas? Ou perceber melhor como reaproveitar materiais? Fica atento(a)!  

Nota: Caso queiras consultar os meus artigos anteriores relacionados com este tema, clica aqui

Por uma Vida ECOnsciente,
Filipa Gouveia