Educação & Sustentabilidade 

11-12-2019

Em todos os Eco Talks faço a pergunta "Como achas que vai estar o planeta daqui por 10-20 anos?". É a pergunta mais difícil (e também a mais inútil). Mas é uma forma de tentar visionar o futuro, como quem procura a luz ao fundo do túnel.

Mais do que refletir ou fazer previsões, o que é realmente importante é ... agir! Neste artigo vou falar sobre lançar sementes e receber esperança! Sobre o nosso poder enquanto cidadãos e comunidade!  

Fui convidada a participar numa School Eco Morning, na Escola Secundária Araújo Correia! É claro que aceitei. Afinal de contas, conhecem melhor sítio para preparar o futuro do que as escolas?

O auditório estava quase cheio. Preparei uma série de excertos de documentários tais como o Rotten, The True Cost, Baraka, Terra! Apelei ao sentido crítico dos alunos e, principalmente, à sua proatividade!

Alguns alunos participaram no debate e tinham uma opinião bem delineada sobre os problemas que enfrentamos. Naquelas dezenas de alunos, algo despertou! Foram lançadas sementes simbólicas e físicas! 

Nos jardins da escola foram também lançadas sementes! Aquele lugar tinha uma energia fresca e viva. Uma energia pulsante que me fazia sentir bem.


Fiz também uma oficina em conjunto com a Liliana da Porta dos Sentidos! Ensinámos como fazer produtos de limpeza e de cosmética natural .. .e receitas plant-based!  

Fiquei surpreendida com o interesse e com a amabilidade dos alunos e dos professores! Que excelente trabalho e boa sinergia! Há um real interesse da parte de todos em perceber quais são as alternativas para viver em harmonia com o nosso planeta!

Mas não são só as gerações mais novas que beneficiam de rever os seus paradigmas e hábitos! A cada palestra e workshop que dou percebo que há mais e mais pessoas, de todas as idades, que querem aprender mais sobre sustentabilidade!

Só através da ação a revolução acontece! Acredito que todos podemos e devemos contribuir para uma comunidade mais colaborativa e sustentável. Vamos lá pôr as mãos na massa? 

Por uma Vida ECOnsciente,
Filipa Gouveia