A LEVEZA DO NÃO FAZER

01-05-2018

Todos os dias, a toda a hora, somos chamados constantemente à ação! Seja nas rotinas mais básicas do quotidiano até à resolução dos grandes desafios que surgem pela vida fora. 

Muitas vezes tentamos fazer mais que uma tarefa em simultâneo, e não raras vezes apenas para corresponder às solicitações, exigências e/ou expectativas dos outros (mesmo que não estejamos conscientes disso).

Podemos então entrar facilmente num ciclo não sustentável e pouco consciente - que muitas vezes nos desgasta. 

Quando tomamos consciência, percebemos que é realmente difícil quebrar padrões e hábitos, instalados durante tantos e tantos anos! 

Então, quais serão as alternativas

Percebi que no dia a dia é possível fazer pequenas mudanças que se traduzem em inesgotáveis benefícios. E se conseguires experimentar:

  • Focar toda a tua atenção em cada coisa que fazes?
  • Investir o tempo nas coisas realmente têm valor para ti?
  • "Destralhar" a tua vida de funções e tarefas que não te dão prazer?
  • Saborear a tua comida, o teu banho, o que te dá conforto? 
  • Harmonizar a tua habitação?
  • Parar? Sim, parar! Simplesmente não fazer nem pensar em nada.

*proposta muito difícil, por muito fácil que pareça

Tenho descoberto também o poder de simples rotinas. No meu caso, práticas terapêuticas (como o chi kung e ioga), dança e o contacto com a Natureza são uma autêntica alquimia. 

É importante também nutrir o que que nos faz vibrar. Quais são os teus interesses? O que te faz fluir?

Lembrei-me da analogia da placa nas estações de comboio "páre, escute e olhe". É um trabalho constante de atenção. É muito fácil cair em antigos padrões. Por isso vale a pena tentar uma e outra vez. Simplifica! Demora-te! Usufrui! Sente! Fazer para ser, ou ser para fazer?

Experimentemos ser.